segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Dinâmica "Descobrindo nossos direitos e deveres""

Este material foi utilizado na nossa prática do terceiro ano do curso normal, para ver o projeto, os planos de aula, relatos e outros materiais clique aqui!
Como brincar?
Um por vez, os alunos vão tirando uma ficha da caixa surpresa (que será um dever ou um direito), cada um deve fazer uma mímica para que os outros descubram o que é. Se alguém descobrir, escreve o que dizia na fichinha no quadro, do lado certo, visto que o quadro está dividido no meio e de um lado lê-se "Direitos" e de outro "Deveres". Se ninguém descobrir, quem fez a mímica escreve no lado correto do quadro.

Fichinhas para o jogo:


Dica: Faça uma caixa-surpresa bem bonita, os alunos adoram...

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Produto Final do Projeto "Brincando e Aprendendo"

      Esse foi o nosso produto final no Projeto "Brincando e Aprendendo" desenvolvido por mim, Larissa de Oliveira Pedra e minha colega Pâmela Matias Rodrigues, na nossa prática realizada com uma turma de Terceira Série do Colégio Municipal Pelotense, nós estagiárias alunas desta mesma escola, mas do 3º ano do Curso Normal.
      Os vídeos não são de ótima qualidade, mas foram feitos com muito carinho. O dvd tem mais um vídeo, mas não consegui fazer upload no blog de jeito nenhum, e foram horas tentando, mas os vídeos mais significativos estão aqui. Não deixe de assistir!
1ª parte - Abertura
2ª Parte - Apresentação do Projeto
3ª parte - Apresentação da Turma
4ª parte - Falando dos nossos combinados
5ª parte - Aprendendo Direitos e Deveres
6ª parte - Serviços Públicos
7ª parte - Charges e impostos
8ª parte - Quanto pagamos de impostos nos alimentos
9ª parte - Final

Ir para o menu da prática (clique aqui e leia relatos da observação, planejamento, planos de aula, sugestões de atividades... tudinho que fizemos nesta prática)

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte9)

video

Essa é a nona parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa.Veja aqui os outros vídeos

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte8)


video

Essa é a oitava parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa.Veja aqui os outros vídeos

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte7)


video

Essa é a sétima parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa. Veja aqui os outros vídeos

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte6)

video

Essa é a sexta parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa. Veja aqui os outros vídeos

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte5)

video

Essa é a quinta parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa. Veja aqui os outros vídeos

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte4)

Essa é a quarta parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa. Veja aqui os outros vídeos

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte3)

video

Essa é a terceira parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa. Veja aqui os outros vídeos

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte2)

video

Essa é a segunda parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa.Veja aqui os outros vídeos

Programa: 3ª B, a gente aprende pra valer! (Parte1)

video

Essa é a primeira parte do programa de reportagens, produto final do nosso projeto. Os alunos assistiram e ganharam um DVD cada, para levarem para casa. Veja aqui os outros vídeos

Projeto e Planos de Aula da nossa prática

Estou disponibilizando pra dowload o projeto didático e os planos de aula da prática, são os originais, ainda sem as alterações sugeridas pelas professoras. Clique em cima para abrir.

Projeto Didático        Planos de Aula

Autoria: Larissa de Oliveira Pedra e Pâmela Matias Rodrigues


Ir para o menu da prática

Curso de Corel Draw X4 intermediário

Esse curso esta disponível no site www.buzzero.com que é um site de cursos 100% on line. Nesse curso eu paguei R$14,50, mas tem vários gratuitos no site.
Clique aqui para visualizar em PDF

palavras chave: informática, curso, apostila, corel x4 intermediário

1 ano e 1 mês

Eu te amo muito, não esqueci da data não!

Recados


Para meu namorado Roylier Rodrigues Costa

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Redação que eu fiz no ENEM...

Acho que ela não atendeu ao requisitos do ENEM, acho até que eu acabei saindo do tema, mas aí vai ela

A internet e suas possibilidades.

      Sabemos que a internet é uma ferramenta revolucionária, tanto falando em informação quanto em entretenimento. Uma tendência atual cada vez mais percebida na sociedade é a sua popularização, que está acontecendo de forma rápida. Somado a isso temos infinitas opções no meio virtual e somos mais livres ali do que no mundo físico.
      Assim como o mundo real, o mundo virtual te oferece possibilidades, cabe ao indivíduo escolher aquilo que lhe interessa. Da mesma forma que temos coisas fantásticas na internet, que permitem ao internauta aprender, conhecer, ampliar visão de mundo e das relações sociais, temos outras tantas que são apenas diversão momentânea, exposição da vida  particular sem necessidade, e que geram uma dependência sem sentido nessas coisas irrelevantes em detrimento daquelas que realmente importam.
      Não que isso seja uma crítica às redes sociais e à própria indústria do entretenimento, falando de uma forma geral. Até mesmo porque ajudam na propagação de notícias, promovem a exposição de idéias, entre outros aspectos relvantes que possuem.
      Diversão, relacionamentos, criação de perfil, compartilhamento, lazer (virtuais ou não), são aspectos importantes da vida, mas não são tudo. A formação de um ser humano conhecedor, crítico, capaz de pensar e se pôr frente à sociedade deve ser valorizada e a internet é uma poderosa ferramenta para isso.

ENEM 2011

       Não podemos dizer que seja difícil, está mais para cansativo. Em todas as provas os texto que introduzem as questões são bem longos e precisamos conseguir prestar atenção neles, e depois conseguir ler as alternativas prestando atenção em cada detalhezinho, sendo que nem temos tanto tempo para isso. De qualquer forma, saio de ENEM motivada e sabendo que tenho que estudar mais, e que mesmo sem nenhuma preparação, não passei nenhuma vergonha tão grande, pelas correções que fiz usando os gabaritos não oficiais (corrigidos por professores de cursinhos), estou fazendo entre 113 e 114 acertos, se eu tivesse idade, já concluiria o ensino médio com essa pontuação, dependeria só da redação, que eu acho que não foi feita do jeito certo para o ENEM.
      Para o ano que vem, estudar Física, Química, Matemática e treinar Redação, acho que assim consigo entrar para uma faculdade. Amanhã ou no mais tardar quarta-feira sai o gabarito oficial, e dia 4 de Janeiro (nossa,  4 de janeiro!), os resultados.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Filosofia da Educação - trabalho do professor Carlos Cogoy

      Tivemos durante dois anos letivos a disciplina de Filosofia da Educação. No primeiro ano, como não tínhamos Filosofia, nossa professora trabalhava sobre as duas perspectivas. Já no segundo anos, tínhamos as duas disciplinas e muitas vezes as professoras fizeram trabalhos conjuntos, porém outras trabalharam conteúdos diferentes.
      Lembro que no primeiro ano começamos tudo conceituando Filosofia, a origem da palavra ficava mais ou menos como "amiga da sebedoria", e que a Filosofia é de certa forma a mãe de todas as outras ciências, lembro que tivemos os três passos da atitude filosófica, se não me engano era questionar, investigar e aplicar, algo do tipo.
      Na prática, a filosofia é um olhar crítico sobre as coisas, sobretudo o homem, que é o objeto de estudo dessa ciência. Filosofia da Educação segue mais ou menos nessa linha, a educação é umja ação exclusivamente humana, a Filosofia da Educação é o ramo da ciência na qual se pensa e repensa as atitudes e os processos pedagógicos, é uma importante ramo da Pedagogia, visto que oportuniza o aperfeiçoamento da prática pedagógica.
      Encontrei na Wikipédia um conceito bem resumido da Filosofia da Educação, o site não é completamente confiável, mas eu já conferi e não fala nenhum absurdo, lá vai: "A filosofia da educação é um ramo do pensamento que se dedica à reflexão sobre os processos educativos, à análise do(s) sistema(s) educativo(s), sistematização de métodos didáticos, entre diversas outras temáticas relacionadas com a pedagogia. O seu escopo principal é a compreensão das relações entre o fenômeno educativo e o funcionamento da sociedade."
      Dentro da Filosofia da Educação é importante compreender a teoria de práxis educativa, que nos diz, resumidamente que a teoria e a prática são interdependente, que a teoria não existiria sem a prática e nem a prática sem a teoria e através dessa interdependência a prática e a teoria se aperfeiçoam e se tornam cada vez mais interdependentes.
       Outro aspecto importante da Filosofia da Educação é conhecer e compreender as diferentes tendências pedagógicas, bem como as finalidades da Educação, a origem da escola e as relações humananas ocorridas nesse espaço.
       Não fiz exatamente a pesquisa orientada pelo professor, mas espero ter conseguido definir e destacar os pricipais aspectos da Filosofia da Educação, um estudo importante a ser feito não só por ser cobrado em faculdades, pós, mestrado, concursos... Mas por ter grande aplicabilidade no cotidiano escolar.

Amanhã: primeiro dia do ENEM 2011

Se para mim não vale nada (visto que não tenho 18 anos para poder concluir o ensino médio e nem estou no último ano do médio, embora esteja no terceiro [meu curso tem duração de 4,5]) para a maioria dos "vestibulandos" é a chance de fazer a vida andar...
Vamos lá gente, as oportunidades já são tão poucas, não vão desperdiçar, né?
Boa sorte pra vocês, porque sorte nunca é demais, mesmo que vocês tenham estudado, que não tenha nenhum rolo, nenhum problema já característico do ENEM.


Vou me atrever a dar umas dicas, embora eu também seja principiante:
    • Se alimente bem antes, não acorde muito tarde e nem pense em estudar;
    • Leve uma garrafa com água que tem que ser transparente, é melhor do que perder tempo indo para o bebedor;
    • Pelo o que fiquei sabendo de uma moça que está trabalhando na organização, os candidatos podem comer na sala, mas tem que cuidar para não sujar a prova e o gabarito (coisa óbvia, nem sei porque ela disse isso);
    • Vai com calma, a prova é longa e a gente sabe que não vai gabaritar, então não precisa de desespero.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Máscara Gato Pelado

      Esse é o mascote do colégio Municipal Pelotense, nessa versão em máscara prontinha para imprimir e confecionar.

domingo, 16 de outubro de 2011

"Todo aquele que trabalha dentro da escola é um educador"

“Todo aquele que trabalha dentro da escola é um educador”
Eis aqui a grande hipocrisia da educação pública, talvez na particular também, mas na pública a gravidade é bem maior.
A distância entre o verdadeiro educador, que entre outras coisas educa pelo exemplo, e o parte considerável do funcionalismo público é um abismo de falta de vontade e humanidade.
Uma iniciativa capaz de mudar esse quadro não é chamar os funcionários para assistirem junto com os docentes a palestra no começo do ano letivo, que na prática é toda direcionada ao professor, não é dar as mesmas “lembrancinhas” e brindes aos professores e aos funcionários. A iniciativa poderosa não é dizer que são todos importantes.
Não estou criticando tais iniciativas, estou apenas dizendo que sozinhas nunca farão a diferença na realidade das nossas escolas.
Até agora só fiz reclamar, só falei de coisas negativas mas não vou deixar essa nuvem de pessimismo estragar o meu dia, e muito menos a minha utopia.
Ah, essa minha utopia, que na minha humilde opinião seria a única poderosa o suficiente para reverter esse quadro, infelizmente parece se distanciar cada vez mais. E, sem essa alternativa resta só a iniciativa pessoal, que é em todas as situações o mais importante, de profissionais quase heróis que fazem das nossas escolas um local mais humano e até pedagógico. Parabéns a você servidor público que cumpre com dignidade suas funções, parabéns a quem não se omite, e sabe que seu exemplo é o melhor ensinamento que pode dar. Parabéns a quem sabe realmente ser um educador.
Denuncio aqui a falta de vontade, de compromisso e mesmo de humanidade de muitos funcionários que conheço e graças a Deus não são a maioria. Mesmo sendo minoria, pessoas assim são capazes de atrapalhar a formação dos alunos pela simples convivência. Algumas vezes até podem limitar a ação pedagógica que os verdadeiros educadores (sejam eles professores ou não) estão tentando desenvolver.
Tantas palavras perdidas que já coloquei no papel, tanta realidade que eu precisava mesmo conhecer, mesmo que me faça chorar de tristeza e indignação. É preciso conhecer as coisas na prática, mesmo que isso doa.
Verdade seja dita, não sei como ainda me surpreendo, depois de tantas decepções, eu já deveria estar mais forte. Não sei o que seria melhor: acreditar só nas coisas boas ou me acostumar com as ruins, fazer de conta que está tudo certo, ou achar que está tudo certo a ponto de nem ver as erradas. Talvez seja mesmo melhor ver as coisas como elas são, e se revelam a nós todo o tempo.
Fui até aqui tão reticente e nem falei ainda qual era a minha utopia, uma coisa tão simples e ao mesmo tempo tão impossível, burocraticamente falando. Acredito que a forma de seleção de funcionários públicos não é eficaz, mais importante que uma prova e que um teste físico, é uma avaliação psicológica que realmente nos diga algo sobre esse candidato. Na minha utopia idiota se perguntaria ao candidato: Tu gostas de criança? (Acima disso) Tu gostas de gente? (E de uma forma geral, sintetizando:) Tu sabes respeitar o ser humano? É claro que a minha utopia é boba, mas nem tanto, o candidato não poderia apenas responder, teria que demonstrar aquilo que ele é, o que seria mais o menos e estágio probatório que temos hoje, só que logicamente mais eficaz.
Eu sei que sou praticamente um bebê perante a vida, mas ingênua ou não, sei que as coisas não estão certas. Se “todo aquele que trabalha dentro da escola é um educador”, que educação é essa, onde crianças comem merenda envenenada por uma funcionária sabe-se lá por que motivo, e o pior é que a gente sabe que isso não é um fato tão longe de nós, envenenamento é um atentado contra a vida, assim como tantos outros atentados contra a formação do caráter, cidadania, humana... Esses atentados acontecem em frente aos nossos olhos, e todos me dizem que é bom para eu me acostumar.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Relato da Prática

Dia 13/10/2011, 18h
Hora de rever as colegas e as professoras. Hora de contar para todo mundo como foi nossa experiência e de ouvir como foram as experiências dos outros grupos.
Fomos o terceiro grupo a apresentar, e como os demais tínhamos apenas 10 minutos, estouramos bem o tempo, mas acho que isso não nos prejudicou tanto, na verdade mesmo assim não consegui falar tudo o que eu queria ter dito, foi tudo tão plural, tão rico em detalhes, cada situação, impossível sintetizar em 10 minutos.
Ao ouvir minhas colegas que antes da prática estavam quase decididas em sair do curso e que agora sabem que continuar é o que querem porque experimentando souberam o quanto é bom e gratificante, penso que a prática é ainda mais importante do que eu pensava. Eu já tinha certeza que quero ser professora antes da prática, e mesmo assim tive a oportunidade de reafirmar minha escolha tendo como fundamento a experiência real da prática, como o nome já diz, sai da teoria, é a prática.
Já os relatos de "me decepcionei", "não é isso que eu quero" também foram ouvidos e merecem a mesma atenção, digo a quem pensa assim: vai ser feliz! Se tu não queres isso, sai do curso, não te judia te forçando a fazer uma coisa que não te faz bem, pensa muito bem no que tu estás fazendo com a tua voda e com o teu tempo, e vai fazer as coisas que te dão prazer! Sem culpa, nem todos gostam da mesma coisa e não tem nada de errado em não gostar ou não querer ser professora.

Observação que não tem muito a ver com a prática:
Coitadinho do meu namorado, ficou 3 horas no corredor, me esperando, e ainda teve bom humor, calma e carinho comigo quando eu saí de lá, me tratando sempre muito bem, me cuidando... Que lindinho... Tivemos que esperar o ônibus até 21:40, ele me levou até lá em casa, e esperou o próximo ônibus para a casa dele, o 22:45, ele deve ter dormido muito tarde, ele não quis nem jantar lá em casa, pensando que ia atrapalhar, hoje tinha que estar no estágio às 7:00, e depois sair de lá sem nem almoçar e ir no centro pegar a renovação de contrato dele e entregar a minha, ele deve estar bem cansadinho, vou cuidar bem dele hoje que ele merece. E por falar nisso, hoje é dia de namorar...

Ir para o menu da prática

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Sexto (e último) Dia de Prática

      Nossa primeira atividade foi assistir ao programa de reportagens que produzimos junto com eles, cujo título "3ª B, a gente aprende pra valer!" foi escolhido por eles mesmos na segunda-feira. Eles gostaram de se ver e de ver os colegas e assim relembraram tudo o que trabalhamos na semana que passou. Cada aluno ganhou uma cópia desse DVD que vinha acompanhado de uma agradecimento impresso. Não posso deixar de fazer aqui um grande agradecimento, ao meu namorado Roylier Rodrigues Costa, que me ajudou a editar os vídeos, gravou e copiou os dvds. Muito, muito obrigada!
      Depois organizamos os alunos e os levamos pra o ginásio onde estava acontecendo a abertura das Olimpíadas das Cores, uma comemoração ao aniversário da escola. Eles participaram da torcida com muita animação, a professora Helenice, titular da turma, também estava lá. Parecia um final de filme e era o final da nossa prática. Bem no final da manhã, subimos para a sala, tiramos algumas fotos, deixamos os alunos descansarem da função das olimpíadas, e, ao fazermos a fila da amizade, nos despedimos de cada um com abraços e beijos. Fim da nossa prática.

Quinto dia de Prática

Dia 7/10/2011.
      Hoje seria o nosso último dia de prática, mas a data foi prorrogada até segunda em função das Olimpíadas da Cores do Colégio Pelotense, tivemos que replanejar.
Fizemos hoje com os alunos as máscaras dos Smurfs (smurphet para as meninas e Desastrado para os meninos). Após terminarem, passamos um texto no quadro, que falava sobre a nossa semana de aula e após eles classificaram os verbos entre presente, passado e futuro.
      Depois fizemos uma atividade que trabalhava com os números em inglês e era mais ou menos assim:
Dá-se um balão para cada alunos sendo que dentro destes balões há um pedacinho de papel com um pedacinho da mensagem que vamos formar no cartaz. Cada um destes bilhetinhos é numerado e colocado previamente dentro dos balões. Temos também um cartaz com o contorno dos pedacinhos. Os papeis são numerado de 0 a 23, e o cartaz também, só que no cartaz os números estão escritos em inglês, para treinar esse conteúdo que uma das professoras deles está trabalhando. Após brincarem e dançarem com os balões, os alunos estouram os balões, um de cada vez, e vão colando no local correto, sendo que desta forma formarão a mensagem de agradecimento que escrevemos para eles.
      Foi um dia bem legal, e, embora estivessem um pouco agitados, conseguiram trabalhar muito bem.

Quarto Dia de Prática

Dia 6/10/2011.
      Era o meu dia de dar aula, começamos pela Educação Física integrando-a com a Matemática através do basquete e pênaltis das frações, que vou postar depois. Foi bem organizado e deu certo, mas é cansativo e dói a garganta. Depois subimos para a aula e fizemos um trabalho sobre a quantidade de impostos que pagamos nos alimento que compramos, onde damos a fração na forma escrita e os alunos fazem a representação em desenho e em fração e depois apresentam para o vídeo seus trabalhos e mostram o produto, que eu e a Pâmela levamos. Foi bem legal.
      Depois fizemos a interpretação da letra da Música Deveres e Direitos, do Toquinho, cantamos ela também.
      A última atividade da aula não estava no projeto e foi incluída por "sugestão" da nossa professora de Artes Visuais, uma leitura sobre a obra de Nicholas Floc'h e após, uma produção dos alunos colocando no papel seus sonhos. Montamos um livro juntando todos os trabalhos.
      Hoje tivemos a supervisão da professora Mariza e acho que ela saiu muito assustada, os alunos estavam bem agitados naquela atividade da música e na gravção dos vídeos, talvez ela ache que foi falta de domínio e eu concordo, mas não falta de domínio da turma e sim falta de domínio do conteúdo, eu realmente não tenho "moral" nenhuma para ensinar música.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Terceiro Dia de Prática

      Hoje, 5/10/2011, era o dia da Pâmela dar aula. Começamos a aula construindo um material manipulativo sobre frações. Depois de ensinarmos o nome dos termos e a leitura das frações, eles fizeram uma folhinha onde tinham que colar no local certo a "leitura" das frações que estavam na folha. Depois aplicamos as frações com exemplos na própria turma. Por exemplo: 5/22 estão de uniforme, 7/22 são meninas, 15/22 são meninos, 3/22 entram pela Rua General Argolo, 5/22 entram pelo saguão na Rua Marcílio Dias, e por aí vai. No início da aula, a Pâmela estava insegura, mas com o desenrolar da aula e as reações dos alunos ela foi ficando confiante e levou a aula muito bem.
      No final da aula, fizemos uma dinâmica que nós mesmo criamos. Desde segunda-feira os alunos pediam para fazer a teia da amizade, que as estagiárias do ano passado tinham feito, eles também amaram brincar com a caixa surpresa e tendo em vista a vontade do alunos criamos a "teia surpresa". É bem simples, vamos jogando a bolinha de lã para algum colega e o que jogou tira uma fichinha da caixa, que no nosso caso eram perguntas da tabuada e 2 "micos" para a turma toda (cantar a marcha do gato e ficar "estátua"), o colega que pegasse a lã devia responder. Eles amaram e não queriam mais parar de brincar.
      Para sair da sala de aula, fizemos fila da amizade, que eles adoram...

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Segundo Dia de Prática

     Hoje, 4/10/2011, foi o nosso segundo dia de prática. Hoje, eu era a "professora", e Pâmela a "monitora". De manhã busquei os alunos na bolha e, ao subirem, pararam na porta da sala de aula, onde sortearam da caixa surpresa (que eles simplesmente amaram) o número do grupo ao qual fariam parte na aula de hoje. Eles sentaram em trios (tinham dois quartetos), e começamos a aula conversando sobre os serviços públicos, salientando que um dos nossos direitos é ter acesso a serviço público de qualidade, depois eles receberam um pequeno texto sobre o tema e colaram no caderno de estudos sociais. Continuamos a aula com a confecção de cartazes com exemplos de serviços públicos oferecidos em Pelotas. Os cartazes ficaram muito lindinhos e cada grupo apresentou o seu cartaz para a gravação dos vídeos, cada grupo descia para o jardim com a Pâmela, onde gravavam os vídeos, com exceção dos dois últimos grupos que gravaram no corredor porque o tempo estava ficando apertado.
     Depois conversamos sobre como os serviços públicos são mantidos, e chegamos ao conteúdo de impostos e taxas, que para a minha surpresa eles já dominavam muito bem. Ganharam um texto resumo e uma charge para interpretar, e também interpretaram muito bem. Depois cada um criou uma charge com algum tema que escolheram livremente desde que tivesse alguma relação com nossas aulas. Eles amaram. Na atividade dos impostos e taxas, tivemos a visita de uma supervisora, nossa coordenadora Patrícia Fassbender, acho que ela gostou da nossa aula, os alunos cooperam muito também!
     Como eles fizeram todas as atividades muito mais rápido do que esperávamos, propusemos a criação de redações individuais sobre a aula de hoje, na verdade eram relatórios, só que não quisemos assusta-los com essa palavra, paralelo a isso, gravamos mais alguns vídeos. Espontaneamente os alunos acabaram escrevendo  suas redações sentados no chão, perto do quadro, em roda, e uns cuidando os outros para fazerem silêncio e  assim não atrapalharem a gravação dos vídeos.
      Para amanhã, pretendemos levar mais atividades de passatempo, porque eles são realmente muito rápidos, e isso é muito bom. Amanhã é com a "professora Pâmela", sorte pra nós, e que dê tudo certo, estamos trabalhando para isso.

Primeiro Dia de Prática

      Hoje, dia 03/10/2011, Pâmela e eu tivemos o nosso primeiro dia de prática. E como já me referi em postagens anteriores, embora já tenhamos uma certa experiência na nossa "vida profissional de estagiária", das monitorias... É a primeira vez que somos "oficialmente" professoras. E os alunos até nos chamam assim.
      Os alunos responderam bem às nossas expectativas de participação e estavam bem animados. Eles mesmo escolheram trocar a aula de informática (a que eles mais gostam) por ficar em sala de aula conosco.
      Quando eu cheguei no Pelotense, a Pâmela já tinha arrumado as classes em semicírculo ("U"), e já estava saindo para pegar a nossa caixa com materiais, encontrei-a no corredor, eu estava levando mais uma caixa, só que de materiais de apoio (jogos, atividades lúdicas, material de pintura...), logo ela trouxe e colamos o gato pelado e as mensagens de boas vindas e identificação na porta. Enquanto a Pâmela buscava eles na bolha colei no quadro os cartazes de apresentação do projeto. Ela desenvolveu muito bem a aula, embora os alunos estivessem um tanto agitados. Depois chegou o momento dos combinados, que eles também interagiram muito bem. Escolheram o título do projeto (BRINCANDO E APRENDENDO)  e também o nome do nosso programa de reportagens (3ª B, A GENTE APRENDE PRA VALER).
      Trabalhamos com a consulta em dicionário, construímos um texto coletivo, embora os alunos não tenham participado muito, fizemos a dinâmica "descobrindo nossos direitos e deveres", onde os alunos tiravam uma ficha na caixa surpresa, faziam a mímica daquele direito ou dever e os colegas tentavam descobrir, quando alguém descobria, escrevia o direito ou dever no quadro classificando-o, visto que o quadro já se encontrava dividido. Eles adoraram esta dinâmica...
      Tanto gostaram que resolveram ficar em aula para copiarem os exemplos no caderno, e podermos começar a a gravar os vídeos. Eles concordaram em fazer silêncio para gravar, e fazem silêncio mesmo, é bonitinho de ver até. E assim foi o nosso primeiro dia de prática, claro que por muitas vezes precisamos pedir silêncio, calma, ordem... Mas isso é normal em uma turma de crianças. Acho que vamos conseguir fazer um bom trabalho.

Ir para o menu da prática

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A correção que não me agradou nada nada...

      Bom, quinta-feira, dia 29/10, as professoras do curso Normal reuniram-se para corrigir nossos cadernos. Sem citar nomes, mas quem conhece a situação sabe bem como e quem é, não tive sorte e meu caderno caiu na mão de uma das professoras mais exigentes que temos, junto a ela estava uma das mais tolerantes, porém pelo estado do caderno da minha colega acredito que quem liderou a correção foi a mais exigente.
      Entre as coisas que a desagradaram, estava o excesso de detalhes (exemplo: buscaremos os alunos, diremos que podem escolher onde sentar, dividiremos o quadro e de um lado escreveremos direitos e do outro deveres...), coisa que na minha opinião não tem tanta importância assim.
      Outra coisa que foi criticada era a baixa qualidade de alguns materiais, só que eles na verdade eram apenas miniaturas dos originais que serão entregues ao alunos, logicamente não tem uma qualidade igual. Então, acho que essa parte só faltou lembrar de levantar e ir ver na caixa. Tudo isso tudo bem, dizer que há falta de capricho na parte de anotações das observações já achei exagero, e vou explicar o por que. Quando comprei o caderno numerei as folhas, não só para organizar e fazer um índice, mas para, acima de tudo, não cair em tentação de arrancar nenhuma folha, assim tudo o que eu escrevesse permaneceria ali, poderia ser retificado, mas não apagado, porque a prática é para isso, para refazer conceitos, e para aprender mesmo, é bom ter noção do que pensávamos e do que passamos a pensar, visto que um dos mais considerados conceitos de aprendizagem é que "aprendizagem é mudança de comportamento". Portanto, tudo o que eu rabisquei no meu caderno, nos dias de observação, tem um significado que não teria se eu tivesse passado a limpo. Quem me conhece sabe que não sou desleixada, e que escrever "Que falta de capricho! Vais passar a limpo?" não tem nem sentido, pois já passei a limpo sim, no relatório que vem logo adiante dali no caderno. Achei realmente injusto, não só por ser comigo, mas por não ter sido perguntado ao sujeito (se bem que nesse caso acho que fui reduzida a objeto) qual o sentido daquilo.
      Agora vem o pior, essa professora tinha nos orientado a incluir conteúdos da disciplina a qual leciona e nós o fizemos, mas de uma forma mais popular, pois não achamos adequada a forma que ela nos sugeriu. Nos pareceu muito pesado aquilo tudo, impróprio para a faixa etária, e mais ainda, não tinha uma relação bem definida com o foco que estamos dando no projeto, e no Curso Normal aprendi que não é certo forçar essas relações entre os conteúdos para que acontece de uma forma correta a interdisciplinaridade.
      Além de querer interferir (e bastante) no rumo do meu projeto, ela fez isso de uma maneira completamente autoritária ("Eu mudo de nome se tu não colocares o que eu quero no teu planejamento", "Tu tens que trabalhar com o conteúdo da ____). Achei absurdo e contestei, assim fui ensinada a reagir. Lá no Pelotense aprendi a não ser dominada ideologicamente e falei, em um tom muito respeitoso: A senhora está querendo me manipular e decidir o que só nós (Pâmela e eu) temos que decidir. O projeto é NOSSO (não falei gritando, só exagerei um pouquinho na ênfase). Ela se ofendeu muito e achou uma falta de respeito. Me disse coisas que nem sei escrever, prefiro nem lembrar mesmo, coisa de gente que fala o que quer e não sabe   ouvir o que não quer. Na real, ela só falou aquilo tudo porque eu não concordei com ela.
      Ela aproveitou a raiva (ou sei lá o que ela tava sentindo, ô pessoa estranha) e nos criticou por dois fragmentos do nosso planejamento que transcrevo agora na íntegra: "Falaremos também que eles não precisam sentar nos lugares impostos pela professora titular, sentarão em hora em semicírculo, hora em duplas ou grupos conforme o momento e a atividade que estaremos desenvolvendo" "Nós trabalhamos de um jeito que vocês não estão acostumados ainda, trabalhamos com projeto didático [...] Significa que todos os conteúdos estão integrados, ou seja, todos estão ligados por um tema mesmo que antes eles fossem trabalhados em disciplinas separadas com a professora titular e com os outros professores de vocês". Minha professora disse que isso é que é despeito e não tentar qualificar o trabalho das alunas.
        Picuínhas à parte, fomos "aprovadas" para ir para a prática, e segunda-feira lá estaremos bem felizes e trabalhando para que façamos uma boa prática. Agora, se seguiremos as orientações dessa professora já são outros 500.

Ir para o menu da prática

Dia de Entregar o Projeto e os Planos e Aula

Dia 29/10/2011.

      Levamos todo o material, incluindo nossos cadernos, cartazes, caixa surpresa, fichas, balões, enfim... Tudo o que usaremos nos dias de prática, tudo em uma caixa daquelas de folha de ofício (das que vem 5000 folhas) muito bem decoradinha. Lindinha, modéstia à parte.
      Agora é só esperar a correção e correr para a prática.

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares